Caca Diegues Discute Cinema Mundial Na Aeso


Institucional
setembro. 14, 2004

Na última segunda-feira, o cineasta Cacá Diegues discutiu a produção cinematográfica nacional e mundial com alunos e profissionais da área. Diegues iniciou a conversa comentando o quanto a indústria cinematográfica dos Estados Unidos é influente em todo o globo. Segundo o diretor, 90% da exibição mundial de filmes são dos norte-americanos, fato que, além de mostrar o poder de influência da cultura americana, pode ser considerado bastante negativo, pois o cinema é como um espelho que reflete as perspectivas de uma sociedade. Terceiro maior expoente da economia dos EUA, as mega-produções do cinema americano são a maior expressão artística do século XX, além de difundir o “american way of life” para todo o mundo. Mais do que isso, o cinema, frisou o diretor, é uma das grandes armas do capitalismo, sendo veículo de merchandising e de valores éticos. Outro assunto abordado por Diegues foi o cinema brasileiro, que já trilhou uma grande história, mas que vive de fases que começam e terminam e nunca perduram o suficiente para alavancar a indústria cinematográfica nacional. Ele disse ainda que o cinema brasileiro está entrando numa nova fase, que ele espera demore muito para acabar. Diegues acredita que o cinema nacional tem muito potencial para, daqui a alguns anos, brigar por público com o cinema norte-americano. O assunto “leis de incentivo à cultura” também foi colocado em questão. Cacá Diegues disse que nenhum cinema do mundo viveria sem a ajuda do governo, nem mesmo o Hollywoodiano, que as pessoas julgam ser produzido com recursos próprios. O diretor finalizou a palestra lendo uma citação do presidente Lula que diz que não devemos justificar os nossos erros pelos sucessos de outros, mas que façamos o possível para sermos os melhores.

voltar

Nós usamos cookies

Eles são usados para aprimorar a sua experiência. Ao fechar este banner ou continuar na página, você concorda com o uso de cookeis. Saber mais.
Aceitar